Encontro de mulheres cuidadoras de vida, compatilhando experiências

Já vivíamos muitas adversidades: agressão brutal à vida humana e do planeta…  Virtualizamos nossos projetos, e mesmo de modo virtual continuamos lutando para que “ninguém soltasse a mão de ninguém”, pois juntas, somos mais irmãs, mais irmãos.

 “Ficar em casa” foi uma grande oportunidade de entrarmos em nós mesmas.

Sentirmos o desequilíbrio em que se encontra o Planeta/nossa Casa Comum,

Sentimos muito medo, desafiadas, mas não paramos, muitas de nós, de nossas irmãs, enfrentaram os aglomerados urbanos, as ruas foram corajosamente em socorro dos mais abandonados, das pessoas mais vulneráveis. Onde faltava agua, comida, tudo!

Vivemos um dia de cada vez. Convivemos com a dor, o isolamento de pessoas queridas que nunca antes tivemos restrição de abraçá-las, convivemos com a morte de pessoas muito amadas, sem poder celebrar sua Páscoa.

Como Jeremias 10,19 gritamos caladas: “eu aguento”! Vivemos, uma enorme fragilidade de um lado e por outro lado uma Força interior incrível gerava do cuidado, da solidariedade.

Somos conscientes de que “o amor é a força maior da Criação, a expressão mais alta da vida que sempre irradia e pede cuidado, porque sem o cuidado a vida definha, adoece e morre.

Vivemos a escuta DA OUTRA/O, DA NATUREZA, a força da convicção de que SOMOS UM com DEUS, com o universo. Tudo está interligado, tudo vibra em nós e gera luz. Os raios de luz se cruzam, os fios da vida se entrelaçam, tecem geram FORÇAS vitais vindas de Deus Encarnado em nossa vida. Tudo está interligado, tudo vibra em nós, compaixão, misericórdia: vida-morte-ressurreição.

Tudo o que agride a vida e que a revigora repercuti em nossas entranhas. O que significa a VIDA palavra repetida 300, vezes nos três documentos que estamos mencionamos neste Encontro: LS, Sínodo da Amazônia, FRATELLI TUTTI. SE NÃO VIDA EM ABUNDÂNCIA TRAZIDA POR JESUS (J.10,10). É por esta vida que nosso coração palpita. É pela cura desta vida ferida que nossas entranhas gritam.

Diz a Fratelle Tutti nº 271, “se a música do Evangelho parar de vibrar nas nossas entranhas perderemos a alegria que brota da COMPAIXÃO, A TERNURA que nasce da confiança, a capacidade da reconciliação que encontra a sua FONTE no fato de nos sabermos sempre perdoados-enviadas, ao serviço da vida em plenitude. “Se a música do Evangelho cessar de repercutir em nossos cadáveres, nas nossas casas, nas nossas praças, nos postos de trabalho, na política e na economia, teremos extinguido a melodia que nos desafia a lutar pela dignidade da pessoa humana…” e pela integridade do planeta.

Estes textos possuem uma força motivadora que abre sempre novos horizontes de esperança.

As vibrações da terra doente, das águas, do ar que poluímos, do fogo em poder de mãos criminosas queimando nossas reservas naturais, nos faz entender melhor que precisamos viver uma ecologia integral, que inclua concretamente as dimensões humanas e sociais. (LS 137). Tomamos maior consciência de que somos um corpo vivo, somos cosmos.

Herdamos de nossos povos originários uma cultura milenar que entende que tudo está ligado ao UM, ao TODO/DIVINO; manifestado em Jesus encarnado neste mundo que é o  caminho, a verdade a vida de ontem, de hoje e de amanhã.

Se caminhamos junta/os, construímos o bem-estar de todos é o bem-estar de si mesmo, resistir pelo bem da/o outra/o nos fortalece e nos tornamos mais irmãs, mais irmãos.

Recebemos uma profunda sabedoria de nossos ancestrais a qual precisamos manter para garantir o equilíbrio das energias a cósmicas, que vem de DEUS, da Ruah Divina, que nos move, que move a vida do universo.

Como mulheres resiliêntes buscamos com coragem, firmeza e ternura:

– conceber a vida como cósmica, integral, e não como caos fatalidade, onde não se pode fazer nada.

– viver com intensidade e intuitivamente buscar sair com integridade dos desafios presentes sendo fonte e ponte.

– todo ato que fazemos, por mais simples que seja, como recolher um pedaço de plástico no chão tornou para nós um ato sagrado.

– despoluir a natureza, a mente, vida é ato sagrado, é deletar as faturas que tínhamos acumulado ao longo da vida.

05 de Dezmbro 2020

Referencias:

(1) Bíblia, versão Bíblia de Jerusalém.

(2) Artigo CRIAÇÃO: o amor fecunda o universo-31/08/2020- Pe. Adroaldo Palaoro, SJ.

(3) Laudato Si’ -2015 – Carta Encíclica do Papa Francisco.

(4) Querida Amazónia, documento final-2019- Papa Francisco.

(5) Fratelli Tutti, 2020-Carta Enciclica do Papa Francisco.

(6) Discurso de Posse de Dadid Choquehuanca-vice-presidente da Bolívia, 08/11/2020.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *